evolucao do consumo

Evolução do consumo: a arte de unir o moderno e o retrô não acontece só na moda

Sobre a Evolução do consumo, acredito que a maioria de nós tem viva a memória, de não tão longo tempo atrás, da forma que consumíamos.

Não me considero velha, mas lembro com clareza do armazém. Adorava espiar as vitrines do balcão, e quando mais crescidinha, sentar nos altos bancos, apoiar os cotovelos e apresentar a lista de compras ao atendente, que separava todos os produtos e anotava na caderneta de fiado para ser pago no final do mês. Bons tempos!

O varejo tradicional iniciou-se através da técnica de agrupamento de produtos por categorias em meados de 1850 em Paris criando a loja de departamentos, mas o grande marco varejista se deu em 1912, os Estados Unidos inauguraram a primeira loja do mundo com atendimento por auto-serviço, o “pegue e leve”. Com preço predeterminado, a técnica de vendas permitiu ao consumidor escolher os produtos e levá-los até o caixa, sem a intervenção de qualquer funcionário ou do dono do estabelecimento. Acima de tudo, os produtos passaram a ser distinguidos entre si pelas marcas de seus fabricantes, dando início à estratégia das marcas comerciais.

Desde lá muitas mudanças ocorreram, os armazéns desapareceram, os grandes supermercados e lojas de departamentos dominaram. Nos grandes centros o varejo quase sumiu das ruas, aparecendo com uma nova cara nos shopping centers que não param de proliferar.

Mas o grande marco na evolução do consumo é sem dúvidas o advento da tecnologia!

A tecnologia abriu e continua abrindo tantas portas que não conseguimos mais pensar nossas vidas sem ela, sendo assim, vantagens que facilitam a vida vieram para ficar e outras não tão importantes assim já estão obsoletas.

Lembrando que a mesma tecnologia que facilita sua vida, monitora seus passos. Somos observados atentamente como consumidores, através das preferências, estilo de vida, hobbys, condição de pagamento, local, canais de compra, gostos, músicas… Somos um perfil detalhado para grandes marcas que possuem capacidade de acesso.

A reclamação generalizada de quem trabalha no varejo não é a falta de fluxo de clientes, problemas com sistema de gestão, dificuldade de controle de estoque, concorrência desleal… É sim equipe, funcionários, mão de obra desqualificada. Parece-me que os novos tempos trouxeram a informação ao alcance da mão, mas não trouxeram a capacidade de implementar.

Avalie você, o que é mais difícil, comprar um novo sistema ou app que monitora todos os passos do seu cliente ou dedicar tempo, paciência para motivar, desenvolver conteúdo, aplicar, monitorar e capacitar sua equipe? Apesar da hegemonia de algumas tendências, sempre existem minorias com pensamento diferente. Será que aquele Armazém não teria sucesso no seu bairro hoje? Não no fiado, com certeza!

Mas aquele atendimento pessoal, simpático, simples, sem CPF ou RG? Será que realmente precisamos de tantas marcas de sabão em pó, xampus. A arte de unir o moderno e o retrô não acontece só na moda. O desafio é saber utilizar a tecnologia ao seu favor sem esquecer o que é mais importante para o seu cliente.

*A Conex Varejo é especializada na implantação de novos negócios, como: Franquias, Lojas Próprias, Multicanal e Planejamento Estratégico.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.